segunda-feira, 9 de agosto de 2010

Domesticação do SER












Ser eu menina triste?

Ser eu menina mulher?

Ser eu mulher feliz?

Ser eu apenas mulher?

Ou apenas o reflexo no espelho

Que já domesticado está?

Da vida melancolica e triste

Do ar pesado, fardo.

Mas espelhos não se domesticam

Então a ilusão desfaz

A vida brilha como nunca,

A Felicidade toma conta,

E tudo aquilo que antes era

Deixa de ser.

Sou mulher e sou menina,

Completa e domesticada,

Agora, pela felicidade!

Um comentário:

Dalila disse...

lindo !!! intenso e real
Belo poema
Abraço luminoso
Dalila